Menu

Caminhão danifica parte das milenares linhas de Nazca, no Peru

Algumas das milenares linhas de Nazca, no sul do Peru, foram danificadas por um caminhão no último sábado.

O motorista do veículo saiu da estrada que atravessa a reserva natural onde estão as linhas e entrou na área onde ficam os conhecidos geoglifos (desenhos de larga escala na terra), criados há quase 2 mil anos e considerados Patrimônio Mundial da Humanidade. As imagens vão desde traços geométricos até figuras complexas como aranhas, baleias e até macacos.

Como resultado, três figuras foram danificadas. Segundo o Ministério da Cultura do Peru, que fez uma inspeção no local, a passagem do caminhão criou "faixas profundas" em uma área aproximada de 50 metros de largura por 100 metros de comprimento.

Depois de danificar as linhas de Nazca, o motorista do caminhão voltou para a estrada e continuou seu caminho. Ele não sabia que outra pessoa, que também viajava pelo local, estava gravando tudo com o celular. O vídeo foi publicado nas redes sociais.

Marcas profundas deixadas pelo caminhão nas Linhas de Nasca.Direito de imagemAFPImage captionO caminhão deixou marcas profundas nas linhas.

Vídeo viral

Pouco depois, o vídeo se tornou viral, a indignação se generalizou e as autoridades peruanas iniciaram uma operação para capturar o motorista. Ele foi localizado cerca de três horas depois, perto da cidade de Nazca.

O suposto responsável, identificado como Jainer Vigo, alegou que entrou na área devido a problemas com as rodas do caminhão e disse que não sabia que se tratava de um local protegido.

Em seguida, Vigo foi liberado. As autoridades peruanas pediram que ele fique 9 meses em prisão preventiva.

O trajeto da estrada Panamericana, que atravessa o sítio arqueológico, tem diversas sinalizações advertindo os motoristas sobre a importância do local por onde estão passando. E, por mais que as espetaculares figuras geométricas e de animais só possam ser totalmente observadas a partir do céu, muitos trechos podem ser avistados a partir da estrada.

"Acidentes frequentes"

Não é a primeira vez que este sítio arqueológico, um dos mais misteriosos da América Latina, sofre danos desse tipo.

Os danos deixados pelo caminhão também são visíveis pelo céu.Direito de imagemEPAImage captionOs danos deixados pelo caminhão também são visíveis pelo céu.

Episódios como esse "ocorrem cotidianamente", de acordo com o responsável pela conservação das linhas de Nazca, Jhony Isla. "A diferença é que desta vez havia uma testemunha no local, que gravou e colocou o vídeo nas redes sociais. Mas essa é uma situação que ocorre constantemente. Também há pessoas que deixam lixo no local", declarou Isla para a emissora Radio Programas del Perú.

Entre os casos mais conhecidos de danos nas linhas de Nazca, está o protagonizado pelo Greenpeace em 2014. Os ativistas invadiram a área do famoso colibri para colocar banners reivindicando a proteção ambiental, em protesto durante a realização de uma conferência da ONU sobre o clima, que ocorria em Lima.

O colibri é uma das figuras mais complexas e emblemáticas de Nazca.Direito de imagemAFPImage captionO colibri é uma das figuras mais complexas e emblemáticas de Nazca.

Un ano depois, outra pessoa invadiu a área e escreveu seu nome em um dos geoglifos.

Até hoje, o significado das linhas é desconhecido. Alguns pesquisadores consideram que se trata se um calendário. Outros alegam que era um observatório astronômico. Já os mais ousados afirmam que as linhas eram formas de comunicação com extraterrestres.

 

BBC

Leia mais ...

Crianças não devem ter acesso ao Facebook, defendem especialistas em carta aberta

Mais de cem especialistas e organizações internacionais em saúde infantil pediram ao Facebook que extinga seu recém-lançado aplicativo de mensagens voltado a crianças com menos de 13 anos, o Messenger Kids.

Em uma carta aberta a Mark Zuckerberg divulgada nesta terça-feira, os especialistas e grupos de proteção à infância afirmam que o Messenger Kids é uma iniciativa "irresponsável" que almeja estimular as crianças pequenas a usar o Facebook.

O argumento dos signatários da carta é de que crianças pequenas não estão prontas para ter contas em redes sociais.

"O Messenger Kids provavelmente será a primeira plataforma de redes sociais amplamente usada por crianças de 4 a 11 anos. Mas um crescente número de estudos demonstra que o uso excessivo de aparelhos digitais e de redes sociais é danoso para crianças e adolescentes, o que torna bastante provável que o novo aplicativo prejudique o desenvolvimento saudável dessas crianças", diz a carta aberta.

"Crianças pequenas não têm idade para navegar nas complexidades dos relacionamentos online, que frequentemente derivam em mal-entendidos e conflitos até mesmo entre usuários com maturidade."

O Messenger Kids foi anunciado em dezembro como uma "solução divertida e segura" para que crianças conversem, via vídeo ou chat, com amigos e familiares. É uma versão simplificada do Messenger, que no entanto exige consentimento parental antes do uso e cujos dados gerados não são usados para publicidade dirigida.

"Após conversar com milhares de pais, associações parentais e especialistas em paternidade nos EUA, descobrimos que havia a necessidade de um aplicativo de mensagens que permitisse às crianças se conectar com as pessoas que amam, mas também tivesse o nível de controle desejado pelos pais", dizia comunicado de dezembro do Facebook.

Em resposta à carta aberta desta terça, o Facebook afirmou que "desde o lançamento, em dezembro, temos escutado de pais ao redor dos EUA que o Messenger Kids os ajuda a manter contato com seus filhos e que seus filhos mantenham contato com familiares, perto ou longe. Soubemos, por exemplo, que pais que trabalham à noite agora podem contar histórias de ninar para seus filhos; que mães em viagens profissionais estão tendo atualizações diárias de seus filhos enquanto estão longe".

Mas a carta aberta questiona a necessidade de o Facebook oferecer esse serviço. "Para conversar com familiares e amigos à distância não é necessário ter uma conta no Messenger Kids. As crianças podem usar as contas dos pais no Facebook ou no Skype. Eles também podem simplesmente telefonar."

Menino com telefoneDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionPesquisas apontam elos entre uso de redes sociais e depressão e ansiedade entre adolescentes

A carta menciona também pesquisas científicas segundo as quais o uso de redes sociais aumenta os riscos de depressão e de ansiedade entre adolescentes.

"Adolescentes que passam uma hora por dia conversando em redes sociais dizem ter menos satisfação com praticamente todos os aspectos de sua vida diária", diz a carta.

"Crianças da 8ª série (entre 13 e 14 anos) que usam redes sociais de seis a oito horas por semana têm 47% mais chances de se considerarem infelizes do que seus amigos que usam as redes sociais com menor frequência."

Os especialistas citam também um estudo feito com meninas de 10 a 12 anos. "Quanto mais elas usavam redes como o Facebook, maior era sua tendência a idealizar a magreza, preocupar-se com sua aparência e fazer dietas".

Outras estatísticas mencionadas apontam que:

- 78% dos adolescentes checam seus telefones a cada hora

- 50% deles se dizem viciados em seus telefones

- Metade dos pais afirma que é uma "batalha constante" controlar o tempo gasto pelos filhos diante de telas

Além disso, os especialistas questionam a alegação de que o Messenger Kids vai atrair, de forma segura, usuários infantis que mentiam sua idade para abrir contas em outras redes sociais.

"Crianças de 11 ou 12 anos que já usam o Snapchat, Instagram ou Facebook dificilmente vão migrar para um aplicativo que é claramente voltado para crianças menores. O Messenger Kids não está respondendo a uma necessidade - está criando uma."

A carta termina afirmando que "seria melhor deixar as crianças pequenas em paz para que se desenvolvam sem as pressões derivadas do uso das redes sociais. A criação de crianças na era digital já é difícil o bastante. Pedimos que vocês não usem os enormes alcance e influência do Facebook para tornar esse trabalho ainda mais difícil."

Leia mais ...

Por que o estresse pode te engordar

Todos nós sabemos uma das principais razões pelas quais engordamos: comer mais calorias do que as que queimamos ao longo do dia. Mas isso não esclarece por completo uma questão mais interessante: afinal, por que comemos demais em alguns momentos?

Por que eu às vezes insisto em comer aquele pedaço a mais de bolo ou de chocolate, apesar de saber que vou me arrepender minutos depois? Seria apenas gula ou há algo a mais em jogo?

Apesar de o autocontrole ser importante nessas horas, há fortes evidências de que o estresse tem seu papel em eventuais ganhos de peso.

O estresse crônico interrompe o sono e interfere no nível de açúcar no sangue. Isso aumenta a sensação de fome e a de conforto ao comer.

Essa combinação pode levar, posteriormente, a mais interrupções no sono e a níveis ainda mais altos de estresse e de concentração de açúcar no sangue. Com o tempo, esse quadro pode resultar não só em níveis pouco saudáveis de gordura no corpo, como também no desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Estresse em laboratório

Para colocar isso à prova, Giles Yeo, membro da equipe do programa da BBC Trust me, I'm a doctor ("Confie em mim, sou médico", em tradução livre), decidiu se submeter a um dia especialmente estressante sob a supervisão de cientistas da Universidade de Leeds.

Eles começaram pedindo a Giles que fizesse o chamado "Teste de Estresse Maastricht".

Os cientistas o colocaram em frente a um computador e o pediram para subtrair 17 de 2.043 rapidamente. Ele errou algumas vezes - algo que, para alguém como Giles, é muito estressante.

Depois, pediram que ele colocasse a mão em uma banheira de água bem gelada e a mantivesse ali durante algum tempo. Antes e depois dos testes, a equipe mediu os níveis de açúcar no sangue de Giles.

Os níveis de açúcar no nosso sangue naturalmente aumentam quando comemos e, em uma pessoa saudável, como Giles, eles voltam ao normal em pouco tempo.

Mas o que a equipe da Universidade de Leeds descobriu é que no dia em que Giles estava sendo submetido ao teste de estresse, seus índices levaram três horas para voltar ao normal - cerca de seis vezes mais do que costumava acontecer em um dia tranquilo.

O motivo é que, quando você está estressado, seu corpo entra no modo "lutar ou fugir" - o organismo funciona como se estivesse sob ataque e libera glicose para o sangue, para fornecer energia aos músculos.

Mas se você não precisa de fato dessa energia para fugir do perigo, seu pâncreas vai liberar insulina para fazer com que o nível de açúcar no sangue volte ao normal.

O aumento da insulina - ao mesmo tempo em que o nível de açúcar no sangue cai - farão com que você fique com fome. É por isso que você mergulha nos carboidratos quando está estressado.

E a mesma coisa acontece quando você dorme mal.

Mais calorias

Um estudo recente feito por pesquisadoes da King's College, em Londres, descobriu que pessoas que dormem mal consomem, em média, 385 calorias a mais por dia em comparação com pessoas que dormem bem - seria o equivalente à quantidade de calorias de um muffin enorme.

Crianças que não dormem bem também tendem a atacar comidas - especialmente as guloseimas mais gordurosas.

Em outro estudo recente, pesquisadores estudaram um grupo pequeno de crianças de três ou quatro anos de idade que costumavam tirar uma soneca à tarde.

As crianças não puderam dormir durante o dia e também tiveram que ficar acordadas cerca de duas horas a mais do que estavam acostumadas à noite.

No dia seguinte, elas comeram pelo menos 20% calorias a mais do que o normal - principalmente alimentos ricos em açúcar e carboidratos.

Depois disso, os cientistas permitiram que as crianças dormissem o tempo que quisessem. No dia seguinte, elas ainda comeram 14% calorias a mais do que o normal.

Então como seria possível reduzir o estresse diário?

Homem com insôniaDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionDormir mal pode causar estresse e contribuir para ganho de peso

Respiração e outras técnicas

Uma técnica de respiração recomendada pelo sistema de saúde pública britânico (NHS) pode ser bastante eficiente. Mas, para obter benefícios maiores, é importante incorporá-la a sua rotina.

Você pode praticá-la de pé, sentado ou deitado, da maneira que for mais relaxante.

- Comece inspirando bem profundamente pelo nariz (mas sem forçar) e contando até cinco;

- Depois, expire aos poucos, pela boca, contando até cinco;

- Continue inspirando pelo nariz e expirando pela boca, de forma constante;

- Faça isso por cinco minutos.

Uma das principais recomendações para reduzir o estresse é tentar dormir bem todas as noites - um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que pessoas a partir dos 18 anos devem dormir pelo menos 6 horas por dia (o ideal seria de 7h a 9h de sono).

Exercício físico, técnicas de "mindfulness" e ioga também ajudam a diminuir o estresse. Mas os benefícios delas só ocorrem se você realmente gostar dessas atividades.

Leia mais ...

O líder africano que obrigou milhares de pessoas a se submeterem a cura falsa da Aids

O ex-presidente de Gâmbia Yahya Jammeh - que deixou o país um ano atrás, após duas décadas no poder - foi acusado de muitos crimes. Um dos mais insólitos, entretanto, foi obrigar milhares de pessoas com HIV a se submeterem a tratamentos com uma mistura de ervas que ele mesmo inventou. Um número ainda desconhecido de vítimas morreu em decorrência desse episódio.

Como primeira pessoa no país a se declarar publicamente soropositiva, Lamin Ceesay pensou que estivesse fazendo a coisa certa. Isso foi no ano 2000, quando muitos sabiam pouco sobre a doença e pessoas infectadas tinham que lidar com o estigma e o preconceito.

No Dia Mundial da Luta contra a Aids daquele ano Ceesay tomou coragem para ir a público e participou de uma marcha promovida por uma ONG. Isso lhe rendeu o respeito de ativistas da saúde em todo o mundo.

Mas, alguns anos depois, também chamou a atenção de Jammeh, então presidente.

"Cura milagrosa"

No início de 2007, Jammeh declarou ter inventado sua própria cura milagrosa para a doença, usando uma mistura de ervas medicinais e técnicas de cura espiritual. Ainda mais bizarramente, ele disse que a cura funcionava apenas às segundas e quintas-feiras.

Não surpreendentemente, a história foi denunciada como charlatanismo do tipo mais perigoso por especialistas em saúde de todo o mundo.

Na própria Gâmbia, entretanto, dizer ao presidente que ele estava falando absurdos poderia levar à prisão.

Foi nesse contexto que, quando chegou um convite à instituição beneficente de HIV de Ceesays pedindo 10 voluntários para serem as primeiras cobaias no programa de seis meses de tratamento do presidente, ele decidiu que essa seria uma proposta que não poderia recusar.

Lamin CeesayImage captionLamin Ceesay foi forçado a desistir de drogas anti-retrovirais para se submeter ao tratamento que o presidente apresentava como milagroso | Foto: Colin Freeman

"Eu pensei em simplesmente enviar outras pessoas para o programa, mas temi que se eu mesmo não fosse, poderia ter problemas", disse ele. "Também pensei, 'por que não?' Isso não pode fazer nenhum mal".

Era aí que Ceesay estava enganado. Somente quando chegou à clínica improvisada do presidente, na sede do governo, as regras básicas do programa foram explicadas. Não poderia fumar, beber chá ou café. Não poderia fazer sexo. E, fundamentalmente, não poderia tomar remédios convencionais - incluindo as drogas anti-retrovirais dadas a ele por seus médicos.

Não havia como recuar. Os guarda-costas armados de Jammeh estavam estacionados nas portas da clínica.

Pelos próximos seis meses, disseram eles, nenhum paciente seria autorizado a sair sem sua permissão.

Tratamento

E então o tratamento começou.

A cada manhã, o presidente esfregaria uma pasta verde misteriosa no corpo dos pacientes, enquanto entoava preces do Corão. Depois, duas vezes ao dia, eles beberiam uma espécie de poção amarela de ervas armazenada em garrafas. Jammeh se negou a dizer o que havia ali dentro, apesar de ter sido dito que se realmente tivesse encontrado a cura do HIV poderia deixar a Gâmbia rica da noite para o dia.

Imagem mostra Yahya Jammeh segurando o Alcorão sobre pacienteDireito de imagemEPAImage captionYahya Jammeh entoava preces do Corão como parte do tratamento que inventou contra a Aids

O que quer que fosse, aquilo provocou em Ceesay diarreias constantes. Ele também pegou tuberculose de outro paciente, e finalmente ficou tão fraco que teve de ser transferido para um hospital.

Exames mostraram que sua carga viral de HIV havia disparado, e ele voltou então a tomar os anti-retrovirais, até então proibidos por causa do novo tratamento.

Ceesay estava entre os sortudos. Sua esposa, que também era soropositiva, morreu durante o programa de ervas - assim como, diz ele, aconteceu com a maioria dos pacientes. "Como veterano no grupo do HIV, eu estava em funerais o tempo todo", diz ele.

Essa, no entanto, não era a imagem promovida pelo presidente Jammeh, que pressionou os pacientes a aparecerem na televisão estatal gambiana para alardear o sucesso do programa. Entre eles estava Ousman Sowe, que possuía diploma em saúde pública da Universidade britânica de Leeds e acabou recrutado por Jammeh como porta-voz, para tentar afastar dúvidas de jornalistas estrangeiros incrédulos.

A expectativa era dar alguma seriedade acadêmica ao programa.

Sowe chegou a dizer à BBC na época que tinha "100% de confiança" na cura. Mas, de fato, desistir de seus anti-retrovirais o deixara tão fraco que mal conseguia subir um lance de escadas.

"Como uma pessoa instruída, eu sabia que tudo aquilo era idiotice", lembra Sowe. "Mas eu não podia dizer nada contra isso, mesmo que as pessoas estivessem morrendo".

Ousman SoweImage captionOusman Sowe e outros sobreviventes querem que Yahya Jammeh vá a julgamento | Foto: Colin Freeman

Sowe e seus colegas pacientes estão agora trabalhando com o Aids-Free World, um grupo ativista dos Estados Unidos que quer que sejam apresentadas acusações contra Jammeh por causa do programa. O grupo afirma que esse é, provavelmente, um dos maiores escândalos de direitos humanos cometidos pelo regime dele.

Além disso, diferente de suas prisões secretas e câmaras de tortura, o programa era realizado abertamente para o mundo ver. No entanto, Jammeh não estava tão inclinado a ter seus atos examinados. Um oficial de saúde da ONU que levantou objeções foi expulso da Gâmbia logo no início.

No final, acredita-se que 9 mil pessoas tenham sido tratadas. Entretanto, como Jammeh manteve todos os registros clínicos em sigilo, ninguém definiu ainda quantas delas morreram. Uma coisa parece certa agora, porém - o único "milagre" de sua cura foi que alguém sobreviveu a ela.

Leia mais ...

Autoridades tentam desvendar mistério da 'bola de fogo' que passou pelo Acre e caiu no Peru

Uma bola de fogo cruzou o céu na cidade amazônica de Pucallpa, no norte do Peru. Ela desceu rapidamente e deixou um rastro branco no céu, durante o entardecer do sábado do último dia 27 de janeiro.

"Olha o meteorito, olha o meteorito!", gritou um morador local, como mostra um vídeo publicado no YouTube.

O objeto que passou em Pucallpa aterrissou em Puno, também no Peru, a quase 2 mil km da cidade onde as imagens foram registradas em vídeo. Ninguém ficou ferido tampouco foram registrados danos materiais.

A imprensa local descreveu o objeto como "uma bola de fogo incandescente". Três dias depois, autoridades aeroespaciais do Peru tentaram decifrar exatamente o que era e de onde vinha.

Segundo as autoridades, não se trata de um meteorito. E não foi apenas um, mas quatro objetos que caíram em Puno.

Três objetos tinham forma esférica e o quarto parecia uma peça metálica irregular, de acordo com Gustavo Henríquez, secretário-geral da Comissão Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Aeroespacial do Peru (Conida, na sigla em espanhol).

Henríquez disse que o trajeto do objeto incandescente que passou por Pucallpa também foi observado no Acre, no Brasil.

Tanques de combustível?

Para o secretário-geral da Conida, o "mais provável" é que se trate de tanques de combustível de satélites. Uma comissão da agência aeroespacial foi enviada a Puno para investigar o caso.

Autoridades americanas, por sua vez, confirmaram à BBC Mundo que "um corpo do foguete russo SL-23 retornou à atmosfera em 27 de janeiro de 2018 e passou sobre América do Sul (próximo do Peru) às 23h32 GMT (18h32 hora local) aproximadamente".

Imagem de satélite registrada pela AerospaceImage captionA Aerospace, organização sem fins lucrativos que monitora o espaço, indicou que um objeto foi avistado regressando na atmosfera em 27 de janeiro sobre Pucallpa | Imagem: Reprodução/Aerospace

A projeção foi feita pela agência americana que faz parte do Centro Conjunto de Operações Espaciais (JSpOC, na sigla em inglês), que monitora mais de 23 mil objetos na órbita da Terra.

A informação divulgada pelo governo dos EUA também está disponível no site da Aerospace, empresa que faz pesquisas científicas independentes desde 1960.

O corpo do foguete que voltou à Terra fazia parte de uma missão espacial para o lançamento do chamado AngoSat 1, o primeiro satélite de comunicações de Angola.

Em 26 de dezembro do ano passado, a empresa russa RSC Energia, fabricante do satélite, lançou a missão a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. No entanto, nem a empresa nem a Roscosmos, a estatal aeroespacial russa, publicaram informação sobre os objetos encontrados no Peru.

Gustavo Henríquez afirma que o fato de não ter sido notificada do possível regresso desse foguete preocupa a agência espacial peruana.

"Segundo convenções da ONU, esses avisos devem ser feitos para que as nações fiquem em alerta e para que o país responsável possa ressarcir eventuais danos", observa.

Foi por isso, diz Henríquez, que foi aberta investigação junto à chancelaria peruana para tentar identificar as causas do incidente.

Perigoso?

Segundo o secretário-geral da Conida, as áreas onde os objetos aterrissaram foram isoladas porque, "se forem tanques de combustível de satélite, podem ser muito perigosos".

Detalhe de objetos que caiu em Puno, no Peru.Direito de imagemAFPImage captionAutoridades americanas dizem que o corpo de um foguete russo entrou na atmosfera do Peru no mesmo dia e horário em que a 'bola de fogo' cruzou o céu

"Normalmente eles carregam hidrazina, um propelente tóxico que, quando em contato com o combustível, coloca vidas em risco", disse ele.

No entanto, as imagens divulgadas pela imprensa peruana mostram que moradores locais chegaram a mover um dos objetos para revelar o buraco de 30 centímetros que ele deixou no solo.

Henríquez argumentou que, se for um tanque, as altas temperaturas da decida pela atmosfera podem ter feito o combustível evaporar. Ele diz que não se recorda quando objetos de lixo espacial caíram no território peruano.

"Se isso aconteceu, foi há muito tempo", diz.

Leia mais ...

Por que ter os dentes brancos não significa necessariamente que estejam saudáveis

A maioria de nós gostaria de ter um sorriso branco reluzente, capaz de causar inveja às celebridades de Hollywood.

Estudos mostram que 18% a 52% das pessoas estão insatisfeitas com a coloração de seus dentes.

Em países como os EUA, o branqueamento é um dos procedimentos dentários mais solicitados, enquanto os britânicos são muitas vezes alvos de piadas por seu sorriso amarelado.

O Brasil também possui um dos principais mercados do setor, concentrando o maior número de dentistas do mundo. Segundo a consultoria Euromonitor, são 240 mil ou 15% de todos os profissionais do planeta.

É de supor, portanto, que dentes brancos não sejam apenas atraentes, mas saudáveis.

A tonalidade de nossos dentes depende de sua cor intrínseca, influenciada em parte por nossos genes e nossa idade, combinada com manchas causadas pelo fumo, pela comida, pelas bebidas e até alguns medicamentos.

À medida que envelhecemos, nossos dentes também ficam cada vez mais amarelados, pois o esmalte começa a desaparecer, expondo a camada inferior, a dentina.

Taza de caféDireito de imagemALAMYImage captionManchas à base de alimentos e bebidas podem descolorir dentes, mas não indicam que eles não são saudáveis

Manchas verdes

As manchas acabam se sobrepondo nos dentes amarelados. Alimentos como molhos à base de tomate e café deixam para trás compostos coloridos chamados cromogênios, enquanto bactérias e fungos podem causar manchas verdes, acinzentadas e com aparência peluda.

Muitos dos experimentos sobre a cor dos dentes foram realizados em tubos de ensaio em laboratórios, em vez de na boca de pessoas vivas.

Na maioria das vezes, dentes de vacas são usados, porque permitem aos pesquisadores estudar uma área de superfície maior. Mas dentes humanos também são analisados.

Um estudo realizado por Mark Wolff, da Universidade de Nova York, submergiu os dentes de vacas durante uma hora em chá preto, vinho tinto e vinho branco.

Não causou surpresa que o vinho tinto tenha deixado as manchas mais fortes. Surpreendentemente, o chá preto não manchou os dentes, a menos que tivesse sido precedido de vinho branco.

Segundo os cientistas, o teor de ácido do vinho fez com que o esmalte se tornasse um pouco mais poroso, permitindo, assim, que o chá deixasse sua marca.

Essas manchas à base de alimentos e bebidas podem descolorir os dentes, mas não indicam que eles não são saudáveis. Você pode ter dentes brancos reluzentes e ainda ter infecções de gengiva ou cáries.

Ao mesmo tempo, você pode ter dentes perfeitamente saudáveis que são brancos, amarelados ou até amarronzados.

Paciente no dentistaDireito de imagemALAMYImage captionCuriosamente, alguns estudos - mas não todos - descobriram que crianças com 'manchas pretas' são menos propensas a ter cáries

'Pontos escuros'

Existe até mesmo um tipo de mancha que alguns pesquisadores acreditam que possa proteger nossos dentes contra as cáries.

Parece uma borda escura, às vezes observada na linha da gengiva, ou uma série de pontos escuros. É conhecida como "mancha preta".

Embora sua causa venha sendo debatida há mais de um século, o entendimento médico é de que se trata de um tipo especial de placa formada por cálcio, fosfato, várias bactérias e uma combinação de ferro e cobre, o que dá origem à cor preta.

Curiosamente, alguns estudos - mas não todos - descobriram que crianças com manchas pretas são menos propensas a ter cáries. Acredita-se que os micróbios presentes ali podem servir como proteção.

É claro que, em alguns casos, a descoloração pode indicar apodrecimento ou outra doença. Por isso, é recomendável que as manchas sejam verificadas por um dentista.

Mas, assim como os dentes brancos não são necessariamente saudáveis, os manchados também não são necessariamente ruins.

Então, o que acontece se você ainda quiser dentes brancos reluzentes, independentemente do que dizem sobre sua saúde?

Há toda uma gama de intervenções de clareamento a partir de pastas de dentes, fitas e géis.

A maioria contém substâncias abrasivas que eliminam as manchas. Alguns até contêm um componente que adiciona um tom azulado aos dentes para neutralizar qualquer amarelamento, resultando em dentes que parecem ainda mais brancos.

Os profissionais tendem a oferecer tratamentos que usam agentes branqueadores mais fortes do que os encontrados nos tratamentos caseiros. Mas sua eficácia varia consideravelmente. O branqueamento também pode causar sensibilidade temporária nos dentes ou nas gengivas de algumas pessoas.

E, claro, a menos que você continue com um tratamento, a brancura só vai durar enquanto você evitar os alimentos e bebidas que causam as manchas.

Mas pelo menos você sabe que não apresentar aquele sorriso branco de Hollywood não significa que você não tenha dentes saudáveis.

Leia mais ...

Em possível caso raro de reação adversa, aposentada morre após se vacinar contra febre amarela

A professora aposentada Mônika Oelkers, de 76 anos, saiu de sua casa, em Ibiúna, no interior de São Paulo, no dia 8 de janeiro para se vacinar contra febre amarela, mas morreu oito dias depois em um caso extremamente raro de reação adversa à imunização.

Mônika começou a sentir-se mal no dia seguinte à visita ao posto de saúde Dr. Darcy Bandeira. Com muito cansaço, febre, fraqueza e falta de apetite, ela foi levada a um pronto-socorro, onde familiares afirmam que ela apenas recebeu soro.

Seu quadro não melhorou, e ela foi para a cidade de São Paulo, a 75 km de Ibiúna, para ser examinada no Hospital do Servidor.

"No hospital, remontaram seu histórico clínico, pediram exames e diagnosticaram uma reação muito forte à vacina, dizendo que o corpo dela estava manifestando sintomas da doença", diz sua sobrinha-neta, Bianca Wiederin, de 28 anos, que acompanhou Mônika em sua internação em São Paulo.

"Como o funcionamento do fígado e dos rins foi comprometido, ela foi para a UTI, onde uma equipe de infectologistas assumiu e fez o mesmo diagnóstico." Internada no dia 14, Mônika teve de ser entubada no dia seguinte e morreu no dia 16.

No documento do hospital que acompanhou o corpo, enviado ao Serviço de Verificação de Óbito, está escrito na última linha: causa possível - febre amarela, reação vacinal.

O laudo da morte da aposentada lista, entre os diagnósticos, hemorragia pulmonar, hepatite aguda, icterícia febril e febre hemorrágica, sintomas da doença viscerotrópica aguda (DVA), uma reação à vacina em que o paciente desenvolve um quadro semelhante ao da doença até dez dias após ser imunizado. Além disso, ela sofria de obesidade, arteriosclerose, diabetes e hipertensão.

Estima-se que ocorra um caso de DVA para cada 400 mil doses aplicadas, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segurança e recomendações

A vacina contra febre amarela é considerada altamente segura e, atualmente, é recomendada para quem tem entre nove meses - ou seis, em áreas consideradas de alto risco - e 59 anos de idade. Acima dessa faixa etária, o paciente deve se consultar com um médico para avaliar o estado do sistema imunológico e se o risco de contágio é alto ou não antes de se vacinar.

Segundo a Fiocruz, o risco de reação adversa é ainda maior para quem tem acima de 70 anos, como era o caso de Mônika. Diabéticos e hipertensos como a aposentada não têm contraindicação para a vacina desde que estejam com os níveis de glicemia e pressão controlados.

LaudoImage captionDocumento do hospital aponta como causa possível da morte: febre amarela, reação vacinal | Foto: Arquivo Pessoal

"Para mim, por questões de saúde e da idade, está claro que era contraindicado ela se vacinar", diz Bianca. "Mas uma senhora, longe da família, foi tomar. O posto não deveria ter vacinado sem entender o histórico dela."

À BBC Brasil, a coordenadora de vigilância epidemiológica de Ibiúna, Elisângela Cardoso Pires, explicou ser "impossível" que a aposentada não tenha passado por uma avaliação ou triagem no posto de saúde.

"Fazemos uma reunião uma vez por semana com enfermeiros e auxiliares de enfermagem, que prestam o atendimento nos locais de vacinação, para reforçar os critérios", afirmou Pires.

A coordenadora disse ainda que Ibiúna foi considerada uma área de risco pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica de Sorocaba [ligado à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo]. "A região é cercada por mata e tem muitos cursos d'água. Além disso, tivemos cinco casos confirmados de macacos mortos com febre amarela em locais distantes entre si."

LaudoImage captionLaudo aponta sintomas correspondentes aos da reação à vacina | Foto: Arquivo Pessoal

Segundo Pires, isso significa que a aplicação da vacina em idosos dispensa a apresentação de uma carta de avaliação médica atestando o bom estado de saúde do paciente, informação confirmada pelo governo estadual. Logo, bastaria uma avaliação de saúde no momento da imunização e no próprio local de vacinação por um enfermeiro.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo disse à BBC Brasil desconhecer o caso e informou que cabe aos municípios investigarem os casos de morte pela doença.

"De 2017 até o momento, houve 40 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado. Vinte e um deles evoluíram para óbitos. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942", disse em um comunicado enviado à BBC Brasil.

Custo-benefício

Vacina contra febre amarelaDireito de imagemAFPImage captionVacina contra febre amarela é considerada altamente segura

Em pacientes com um sistema imunológico sadio, a vacina estimula o corpo a produzir anticorpos, para que, se houver um contágio, seu organismo seja capaz de combater a doença.

Mas, por ser feita a partir de vírus vivos atenuados, em determinados grupos de pacientes, como quem está com a imunidade debilitada ou tem alergias a elementos do ovo de galinha, usado em sua produção, a vacina pode causar problemas graves, como a DVA.

"É algo muito raro, mas pode ocorrer. São pouquíssimos casos em que essa reação leva ao óbito", diz Akira Homma, consultor científico sênior da Bio-Manguinhos/Fiocruz, ressaltando que "o custo-beneficio da vacinação é absurdamente claro". "É muito melhor se vacinar do que ter a doença."

Carteira de Vacinação de MônikaImage captionIdosa morreu dez dias após ser imunizada | Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com os índices oficiais de incidência do governo, em um universo de 20,6 milhões de pessoas imunizadas - a meta estabelecida pela campanha do Ministério da Saúde para os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia -, 51 poderão ter esta reação grave, ou 0,00025% dos pacientes.

Por sua vez, o grau de letalidade da febre amarela silvestre foi de 51% entre 1980 e 2004, de acordo com dados do governo. Isso significa que cerca de 10 milhões de pessoas correriam risco de morte em um cenário de epidemia em que todas as 20,6 milhões de pessoas fossem contaminadas.

Desde o início do surto, em 1º de dezembro de 2016, até 1º de agosto de 2017, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Do meio do ano passado até o último dia 14, foram 35 casos - os números podem crescer, já que vários casos suspeitos estão em investigação.

O governo ainda analisa se classifica o quadro atual como um surto. Oficialmente, trata como um aumento atípico de casos, uma situação que gerou alarme e fez muitas pessoas, como Mônika, procurarem os serviços de saúde para se proteger.

"Minha mensagem é para tomarem cuidado com os idosos", diz a sobrinha-neta da aposentada.

"Uma senhora deveria ser aconselhada a procurar seu médico para ver se poderia tomar a vacina. Quero mais pessoas informadas, porque as pessoas no próprio posto às vezes não estão preparadas."

Leia mais ...

Síndrome de Jerusalém, o curioso transtorno que faz as pessoas acreditarem que são profetas ou messias

O misterioso desaparecimento em novembro do turista britânico Oliver McAfee no deserto de Negev, em Israel, jogou luz sobre um transtorno psiquiátrico insólito: a síndrome de Jerusalém. Os médicos agora temem que o jovem sofra do problema.

McAfee, um jardineiro de 29 anos, é um devoto cristão que chegou a Israel em 2017.

Ele deixou seu emprego em Essex, na Inglaterra, em abril do ano passado. Queria percorrer a Europa de bicicleta, uma viagem que seus amigos descrevem como "descoberta pessoal".

Foi visto pela última vez na cidade israelense de Mitzpe Ramon.

Seus familiares entraram em contato com a polícia do país no final de dezembro para informar o desaparecimento. Desde então, foram feitas buscas com helicópteros, cachorros e equipes de resgate - nada até agora deu certo.

As autoridades israelenses acreditam que McAfee esteja vivo, segundo Micky Rosenfeld, superintendente e porta voz da polícia local. Viajantes encontraram na área alguns pertences do jovem, como uma bolsa, chaves e comprimidos. "Ainda estamos examinando sua bicicleta e outros objetos pessoais", disse à BBC.

O porta voz acrescenta que a polícia também encontrou folhas com citações bíblicas e uma área com areia rodeada por um número significativo de pedras.

'Braço direito de Jesus'

Enquanto a busca continua, vários psicólogos em Israel têm falado sobre a síndrome de Jerusalém, uma estranha condição psiquiátrica que poderia ter afetado McAfee.

Imagen de Oliver McAfee publicada por el grupo de Facebook "Help us find Ollie" (Ayúdanos a encontrar a Ollie). Foto cortesía de #HelpusfindollieImage captionImagem de Oliver McAfee publicada em grupo de Facebook | Foto: #Helpusfindollie

Estima-se que a síndrome afete uma centena de pessoas por ano, que desenvolvem uma espécie de angústia mental ao visitar lugares sagrados da região.

Há algo comum na maneira como esse transtorno se manifesta nos pacientes. "O denominador comum é que as pessoas pensam que estão vivendo um momento de redenção iminente, que vai acontecer em Jerusalém ou, no caso do turista no deserto de Negev, em qualquer lugar próximo da região percorrida por Jesus", diz Pesach Lichtenberg, professor de psiquiatria da Universidade Hebrea.

"A pessoa acredita que vai desempenhar um papel importante nesta segunda vinda de Jesus: ou para avisar ao mundo ou ser o braço direito de Jesus", diz Lichtenberg, que também é o fundador e diretor do Soteria House, um centro de tratamento holístico para psicoses. No local, atualmente há várias pessoa que pensam que são um messias.

O acadêmico desconhece o caso de McAfee e acredita que existe muita especulação a respeito.

Voluntário procura Oliver McAfeeImage captionVoluntário procura por turista Oliver McAfee no deserto de Israel | Foto: Har Hanegev Search & Rescue Team

Segundo Lichtenberg, a síndrome de Jerusalém pode se manifestar de várias maneiras. "Normalmente as pessoas, antes de chegarem a Jerusalém, já apresentam algum tipo de problema mental prexistente", explica. Quando desembarcam na cidade, o transtorno acaba por se manifestar.

A síndrome se sobrepõe a uma doença mental ou enfermidade que o paciente já tinha.

"Talvez eles venham para Jerusalém atraídos por uma sensação de que têm uma espécie de missão a cumprir. Talvez eles abram a Bíblia, encontrem um verso e sintam uma espécie de chamado", explica Lichtenberg.

O psiquiatra comenta também que normalmente essas pessoas são bastante religiosas e podem pertencer a várias denominações, como a muçulmana, a judaica ou a cristã.

Turista em JerusalénDireito de imagemASCENTXMEDIA / GETTY IMAGESImage captionSegundo artigo publicado em 2000, uma clínica de Israel recebe 100 pacientes todos os anos com a síndrome | Foto: AscentXmedia/Getty Images

Cem turistas por ano

"Mas mesmo pessoas que não têm um passado religioso podem ser dominadas por uma sensação de espiritualidade ou de transcendência, que pode se cristalizar em algo religioso", explica o psiquiatra.

"Qualquer turista que venha a Jesusalém pode sentir algo incomum, uma intensidade no ambiente, algo que as empurra para o 'outro lado'", diz Lichtenberg.

Segundo um artigo publicado em 2000 na revista British Journal of Psychiatry, uma média de 100 turistas é encaminhada a cada ano para a clínica de saúde mental Kfar Shaul com síndrome de Jerusalém.

Os casos com os quais Lichtenberg trata são de israelenses. Quando os pacientes são estrangeiros, normalmente são tratados em seus países, longe de Jerusalém.

Leia mais ...

7 sinais de que o seu celular foi hackeado (e o que fazer)

O seu celular armazena informações confidenciais sobre você, desde mensagens privadas a informações pessoais, como contatos, e-mails, contas bancárias... a lista pode chegar ao infinito.

Portanto, se hackearem seu telefone, é melhor agir o mais rápido possível. O problema é que, muitas vezes, não podemos identificar os sinais a tempo.

Mas há boas notícias: você não precisa ser um especialista em tecnologia para saber se seu telefone está comprometido.

Em alguns casos, basta prestar atenção a alguns indícios. Listamos alguns deles:

1. O aparelho fica mais lento

Se o desempenho do seu celular estiver mais lento que o normal, pode ser que algum programa malicioso ou malware esteja causando o problema.

Esse tipo de vírus pode afetar o desempenho do dispositivo, o que reflete também na velocidade em que ele se conecta à internet.

Mas saiba que isso também pode ser causado por atualizações do próprio sistema operacional, conforme foi reconhecido recentemente pela Apple.

2. Superaquecimento

Se você notar que o celular está muito quente... é um sinal ruim.

Celular com fumaçaDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionSe a temperatura do seu celular subir... mal sinal

Isso pode ocorrer porque um aplicativo malware está sendo executado em segundo plano, explica a gigante de tecnologia americana Intel.

3. A bateria acaba antes do esperado

O mesmo motivo que causa superaquecimento pode provocar o desgaste da bateria.

É possível que esse efeito também ocorra devido a uma atualização do sistema, mas, se a mudança for drástica, é sempre melhor levá-la em consideração, recomenda o site Zona Móvel.

4. Recebe e envia mensagens desconhecidas

É provável que seus amigos ou familiares percebam esse sinal antes de você, caso seu celular esteja enviando sozinho mensagens por SMS ou WhatsApp.

Homem segurando celularDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionSeu amigo diz que você manda mensagens estranhas? Seu celular pode ter sido hackeado

Às vezes, são ofertas com armadilhas transmitidas na forma de vírus, de um celular para outro.

O mesmo pode acontecer com os e-mails.

O primeiro conselho a ter em mente: exclua-o imediatamente e não clique em nenhum link.

5. Janelas pop-up

Os chamados "pop-ups" geralmente são um sinal inequívoco de que algo está errado.

"Como acontece nos computadores, alguns malwares geram janelas pop-up que o convidam a executar diferentes ações", diz o especialista em segurança cibernética Joseph Steinberg.

"Se você vir 'pop-ups', lembre-se disso", alerta Steinberg.

6. Compras e aplicativos suspeitos

De onde saiu esse novo aplicativo que está instalado no seu telefone? O seu consumo de dados disparou inexplicavelmente este mês?

É possível que, além desses sinais, o valor de sua conta telefônica ou o número de mensagens de texto que você "enviou" tenha aumentado.

"Embora o fabricante ou a operadora possam ser autorizados a instalar aplicativos de vez em quando para atualizar o seu telefone, se novos programas aparecem de repente, é melhor você garantir que eles sejam legais", diz Steinberg.

Desenho representa gastos com celularDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionSe a fatura do seu celular disparar sem motivo, é melhor ficar atento

O especialista recomenda procurar no Google o nome do aplicativo instalado e verificar o que outros usuários dizem sobre ele.

O mesmo acontece se o consumo de dados crescer inesperadamente: é melhor conferí-lo.

Também há casos em que hackers usam seus dados para fazer compras. Por esse motivo, especialistas recomendam que você tenha controle sobre as transações.

7. Aparência estranha e ruído de fundo

Se, ao navegar na internet, as páginas tiverem uma aparência incomum, é possível que seja devido à ação de um hacker que está controlando o dispositivo à distância.

Isso também poderia explicar comportamentos incomuns do sistema.

Mulher falando ao telefoneDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionÉ possível ouvir ruídos ou vozes durante suas ligações? Seu celular pode estar sendo operado de maneira remota

Finalmente, o ruído de fundo quando você faz uma ligação pode explicar que um terceiro está gravando a chamada. Se você ouvir beeps ou vozes, as chances são ainda maiores.

O que fazer?

-Instale um antivírus de confiança em seu celular (alguns são grátis);

-Desinstale os aplicativos que você não instalou;

-Evite navegar usando wi-fi público;

-Proteja seu telefone com uma senha difícil de decifrar;

-Não faça downloads de aplicativos de fontes desconhecidas;

-Tenha cuidado ao clicar em "pop-ups";

-Mantenha seu dispositivo sempre atualizado;

-Verifique regularmente a fatura e o consumo de dados do seu telefone.

BBC

Leia mais ...

Sem passaporte, Lula cancela viagem à Etiópia, onde falaria em série de eventos sobre corrupção

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou a viagem que faria à Etiópia nesta sexta-feira. Os advogados do petista já foram notificados da decisão do juiz federal Ricardo Leite, da 10ª Vara, do Distrito Federal, de reter o passaporte de Lula e impedi-lo de deixar o país.

Embora aconteça apenas um dia depois de sua condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em segunda instância na Lava Jato, a decisão de impedi-lo de viajar ao exterior não tem relação com o processo avaliado pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A medida é parte de um processo sigiloso que investiga se teria havido corrupção no procedimento de compra de caças da Suécia pelas Forças Armadas Brasileiras.

Lula daria uma palestra neste sábado, 27 de janeiro, em Addis Abeba, capital da Etiópia. O evento era parte de uma série de atividades que compõem o Encontro Anual da União Africana, cujo tema é "Vencendo a luta contra a corrupção". A participação de Lula se daria no evento intitulado "Parceria renovada para acabar com a fome na África até 2025 - Cinco anos depois: fazendo um balanço de progressos e lições à luz dos objetivos de desenvolvimento sustentável".

BannerImage captionEx-presidente daria palestra neste sábado no evento | Imagem: Reprodução/African Union

Na abertura do encontro, nesta quinta-feira, o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, lamentou a disseminação de corrupção entre países africanos:

"A corrupção, juntamente com os fluxos financeiros ilícitos, priva a África de cerca de US$ 50 bilhões por ano. Os números falam por si. Todas as nações africanas estão preocupadas, de uma forma ou de outra, em graus diferentes. Como o terrorismo, essa luta deve ser global e só pode ser vencida pela nossa ação coletiva. O ano de 2018 está marcado para ser o ano dessa luta (contra a corrupção)".

Parte dos escândalos recentes de corrupção no continente africano tem relação com a atuação de empreiteiras brasileiras em esquemas investigados pela operação Lava Jato. Exemplos disso são obras da Odebrecht em Angola e Moçambique.

Em novembro, reportagem da BBC Brasil retratou aeroporto fantasma construído pela empreiteira em Moçambique com recursos do BNDES, que tomou calote na operação.

Lula entrega camisa da seleção brasileira para Dlamini-Zuma, presidente da União Africana, em 2013Image captionEx-presidente fez diversas visitas a países africanos durante seus dois mandatos | Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

No caso de Lula, os magistrados responsáveis por julgar as investigações da Lava Jato consideraram que o ex-presidente foi ilegalmente beneficiado ao receber a posse de um tríplex no Guarujá (litoral paulista), reformado segundo o gosto da ex-primeira dama Marisa Letícia, e concedido pela empreiteira OAS.

Em contrapartida, Lula teria facilitado a obtenção pela OAS de contratos públicos da Petrobras. Os desembargadores condenaram o ex-presidente a 12 anos e um mês de prisão.

A palestra do ex-presidente é considerada continuação de um encontro ocorrido em 2013 entre a Agência para Alimentação da ONU (FAO), União Africana e Instituto Lula, com objetivo de lançar uma iniciativa conjunta de erradicação da fome na África até 2025.

Reconhecimento do sucesso de Lula é mais marcante na África, diz FAO

"A União Africana e o governo da Etiópia, com apoio da FAO, decidiram organizar um novo encontro para renegociar a iniciativa para acabar com a fome na África", afirmou a FAO, por nota.

O atual diretor da FAO é o agrônomo brasileiro José Graziano. Graziano foi ministro extraordinário de Segurança Alimentar e Combate à Fome durante o governo Lula, entre os anos de 2003 e 2004.

Além de Lula, estava prevista para sábado a participação do secretário-geral das Nações Unidas, António Manuel de Oliveira Guterres, do primeiro-ministro da Etiópia e do presidente da Guiné.

Segundo a FAO, o convite foi feito a Lula pela União Africana e pelo governo da Etiópia. A BBC Brasil questionou a União Africana sobre o convite na manhã desta quinta-feira, mas não obteve resposta.

Em nota enviada por e-mail, a FAO justificou a participação de Lula no evento: "O ex-presidente Lula é muito conhecido como um dos líderes mundiais mais inspiradores na luta contra a fome, devido ao sucesso do seu governo em retirar mais de 30 milhões de brasileiros da extrema pobreza". A nota não faz menção à condenação por corrupção passiva do presidente.

A agência da ONU disse ainda que "o reconhecimento do seu sucesso é ainda mais marcante na África, um continente que recebeu prioridade na política externa dos seus dois mandatos".

Os advogados de Lula não deverão entrar com um pedido de habeas corpus para reverter a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal, ao menos por enquanto. Eles não comentaram o teor da decisão.

O juiz federal Ricardo Leite é o mesmo que determinou a suspensão das atividades do Instituto Lula em maio de 2017. À época, Leite justificou a medida dizendo haver indícios "veementes" de "delitos criminais" cometidos na sede do órgão, em São Paulo. À BBC Brasil, a 10ª Vara Federal afirmou que não poderia dar mais informações sobre o processo porque ele segue sob sigilo judicial.

Em nota, o PT chamou o juiz de "suspeito" e "midiático", afirmou que ele "persegue Lula e cria vexame internacional". O partido afirma que a decisão de Leite é "mais um episódio da odiosa perseguição judicial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva".

"Este injustificável cerceamento de direitos impedirá o ex-presidente de participar, a convite da União Africana, da reunião de alto nível sobre o combate à fome", diz o PT. O partido conclui o texto dizendo que "provocações como essa não vão nos intimidar." Nesta quarta-feira, o PT confirmou o nome do ex-presidente como pré-candidato da sigla ao Planalto em 2018.

A Polícia Federal declarou já estar notificada da decisão e afirmou, por meio da assessoria, que se prepara para cumprir a ordem de reter o passaporte, mas não precisou a data em que isso será feito.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Notícias Regionais

Brasil e Mundo

Ponte Nova

Colunistas

  • Esqueceu sua senha?
  • Esqueceu seu usuário?